Metodologias ativas de aprendizagem

A Faculdade Censupeg passou pelas ondas educacionais, e continua evoluindo diariamente. Como toda organização, busca a sustentabilidade em suas ações e, assim como as organizações que pensam a Educação no Brasil de forma Sustentável, devem ter alguns fatores primordiais, entre eles, líderes empreendedores, que se antecipam aos eventuais problemas e formam equipes engajadas, que trabalham em formato coletivo e colaborativo em busca de resultados comuns. Esse líder deve ser um estudioso da Educação do Brasil; ele deve estar envolvido com as principais tendências da educação, e pronto para mudar a estratégia sempre que necessário, de maneira que garanta o sucesso dos alunos, o que também significa o sucesso da instituição.

Ao analisar o contexto da educação no Brasil, percebemos que o valor que os líderes das IES devem procurar não são focados apenas no fortalecimento da marca, mas especialmente na consistência acadêmica da instituição, ou seja, as instituições precisam ser significativas para a sociedade e para os estudantes. Uma das principais tendências do mercado educacional mundial, não só do Brasil, é que as instituições de ensino precisam ter agilidade nas ações, ou seja, trabalhar em moldes de STARTUPS, para manter-se inovadora e contemporânea. Podemos dizer que o Grupo Censupeg preza por essa adaptabilidade, e está no DNA da instituição se atualizar constantemente.

Essa evolução no setor educacional tem relação com as ondas que hoje são chamadas de educação 1.0, 2.0 e 3.0:

1.0 – Onda da Expansão: As faculdades eram poucas e com salas lotadas, demanda alta de estudantes em busca do ensino superior, e o acesso a informação era totalmente relacionado à Faculdade;

2.0 – Onda da Gestão: A competição aumentou, a demanda diminuiu, precisou-se otimizar recursos e fazer as devidas adequações de gestão, redução de excessos, maior evolução acadêmica, iniciou-se uma preocupação maior com os índices e conceitos de cursos, os coordenadores de cursos começaram a se envolver mais com os resultados da instituição em si e não apenas com o de seu curso, tendo um olhar mais gestor. As instituições iniciaram a implementação de BSC´s – Balanced Scoredcard, PDCA´s – Plan, do, check and act, que são ferramentas administrativas e estratégicas para tomada de decisão na gestão;

3.0 – Aprendizagem significativa: Com a equalização das faculdades, inicia-se a diferenciação por qualidade de ensino-aprendizagem, onde quem ganha realmente é o estudante, pois as instituições passaram a se preocupar com o futuro dele e da sociedade em que está inserido. A Faculdade Censupeg e o cenário atual estão vivendo essa terceira onda, com uma preocupação com indicadores mais consistentes, e os gestores começam a observá-los com mais cuidado. Outro fator relevante e atual é a tecnologia, a instituição que usa tecnologia em sala de aula! As faculdades que conversam de forma “eficiente e humanizada” com os alunos constantemente, antes, durante e depois de sua formação. A preocupação com um novo modelo pedagógico em que se utiliza de Adaptative Learning, ou seja, uma tecnologia em que o aluno recebe o conteúdo customizado para ele, com conteúdos que oferecem experiências semelhantes às vivências no mercado de trabalho, aprendizagem ativa e significativa onde o aluno entende a utilização prática do conhecimento.

Com todas essas variáveis na educação 3.0, podemos dizer que o ensino com tecnologia já acontece de forma mais fácil, rápida, flexível, adaptativa, mais barata e eficiente. Os cursos presenciais dependem da postura da instituição que, através do professor, desenvolve experiências ativas e mesclam situações presenciais, situações com metodologias ativas e situações em ambiente virtuais de aprendizagem, uma vez que o mercado exige que os profissionais saiam com as competências digitais consolidadas para serem utilizadas. Com os cursos EAD não é diferente. Os estudantes recebem as imersões online de forma que as plataformas, cada vez mais modernas, fazem com que o estudante tenha experiências através de diversos estímulos.

Um bom exemplo é o Ambiente Virtual de Aprendizagem – AVA, utilizado pela Faculdade Censupeg. O ambiente virtual é totalmente voltado e baseado em metodologias ativas, onde o estudante abre uma Unidade de aprendizagem e já identifica, de forma clara, toda a estrutura de aprendizagem que será oferecida, pois é totalmente intuitiva. Nessa estrutura, ele terá elementos de aprendizagem que exercitam as diversas formas de aprender e despertar as inteligências, pois ele terá acesso aos objetivos da disciplina, a um infográfico – estimulará a aprendizagem de leitura de estruturas por imagens e interpretação de gráficos; terá acesso ao desafio, que é um questionamento sobre uma situação real, em que o acadêmico terá de realizar uma construção de conhecimentos para tomar a melhor decisão e explicar as razões. Esse é um momento em que o acadêmico vai ter uma série de situações de aprendizagem retiradas de situações reais do mercado de trabalho. Ele terá dicas do professor, terá sugestões de vídeos e livros para aprimoramento do conhecimento sobre o assunto estudado, auxiliando mais ainda na elaboração da resposta ao desafio. O acadêmico, nesse ambiente, será exposto a exercícios com perguntas e respostas pré-elaboradas com explicações e razões para que as respostas sejam aquelas. Esse é um ambiente pensado para que a aprendizagem seja uma experiência com significado, e é usada nas modalidades presenciais e EAD dos cursos.

À medida que a educação vai evoluindo, as tendências se tornam realidade, e surgem novas, e dentre essa evolução, pode-se dizer que o futuro não é colocar um curso em uma plataforma, ou um curso EAD, mas sim o ensino que realiza a mescla das modalidades, o ensino Híbrido, onde, de forma adaptativa, se encontra a melhor forma de aprendizagem do aluno. Hoje, o aluno escolhe o dia da aula, o horário, entra quando quer nas plataformas, e, quando entra na sala de aula, não assiste à clássica palestra sobre o tema. Ele recebe diversos estímulos em formatos de jogos, gamification, e iniciativas com uso dos smartphones em sala de aula, entrando em ambientes paralelos aos praticados nos AVAS – Ambientes Virtuais de Aprendizagem, das Faculdades, fazendo exercícios pontuais relacionados às atividades reais de trabalho. Ou seja, a melhor metodologia é a que o aluno quer.

Metodologias Ativas de Aprendizagem
A Faculdade Censupeg tem inovação constante em seu DNA, e o termo Metodologias ativas de aprendizagem está em seu Plano de Desenvolvimento Institucional -PDI, desde 2014, ou seja, o aluno da Faculdade Censupeg é o FOCO dessa instituição; fazer com que esse aluno tenha a melhor experiência de aprendizagem é uma construção constante e cíclica. Para que isso aconteça de forma efetiva, as ações da instituição devem ser baseadas em aprendizagem significativa. Um dos valores da instituição é que toda ação administrativa deve ser uma ação educativa, ou seja, na cultura da empresa estão iniciativas de aprendizagem desde o ambiente corporativo até o ambiente acadêmico. Quando falamos sobre metodologias ativas, é importante ressaltar as formas de aprendizagem. A seguir uma situação simples para ilustrar.

Existem três maneiras diferentes de um aluno efetuar a aprendizagem, por exemplo, na construção de um aviãozinho de papel:
1 – O aluno é ajudado por alguém a aprender;
2 – O aluno desconstrói o avião, e reconstrói;
3 – O aluno tenta fazer sozinho até acertar.


Podemos dizer que metodologia ativa é um mix das três situações de aprendizagem. Onde o professor é um curador do conhecimento, ele não mais detém esse conhecimento. Ele tem a formação, a postura e atitude para direcionar o aluno aos melhores resultados, mas ele não necessariamente ensina pelo modelo tradicional: o aluno que constrói a aprendizagem, de acordo com as diretrizes da instituição, baseadas nas orientações e sobre total curadoria desse professor.

O estudante deve ser preparado para essas novas iniciativas e estímulos, assim como a instituição e o professor. Não é pré-requisito ter tecnologia a sala de aula. O principal aspecto é a atitude dos professores. Além de atualizados, devem estar sempre muito a par do conteúdo e da metodologia. A instituição precisa ter condições de aplicar metodologias, e em diversas situações as Faculdades têm condições, mas falta o incentivo e a ação de preparar os professores.

Em suma, as metodologias ativas de aprendizagem contribuem também para a realização da nossa mais relevante missão, transformar a vida das pessoas de forma humanizada, mostrando aos alunos que estamos criando cidadãos conscientes dos seus papéis, e que a atitude deles contém uma responsabilidade conjunta com a construção social.

A principal preocupação das instituições de ensino se consolidará à medida que as Faculdades do país saírem da clássica atitude de dar aula meramente expositiva, e assumir a posição de uma instituição que faz pesquisa aplicada, que inova constantemente e coloca o estudante como protagonista da aprendizagem. O uso de metodologias ativas de aprendizagem mostra que instituições como a Faculdade Censupeg estão preocupadas com a experiência que esse aluno vai ter, com a construção das competências durante a aprendizagem dele em nossa instituição e, principalmente, com o cidadão que estamos formando para essa nova sociedade.