Censupeg há 3 meses
Tempo de leitura: 15min e 09sec

Grandes Empresas e Cultura de Inovação.

Se você tem o sonho de abrir a sua empresa ou quem sabe, já conquistou esse desejo, imagino que já se perguntou algum dia:

Como implementar uma cultura de inovação na minha empresa?

É algo que parece recente e um pouco distante, mas que construído da forma correta, pode acelerar a eficácia de seus negócios.

Enquanto muitas das empresas levantam a bandeira da inovação por meio de novos produtos ou projetos, outras focam na inovação como cultura, e isso faz toda a diferença! A cultura de uma empresa é a base que permeia a produção, serviços, experiências, novos negócios entre diversos outros setores, ou seja, o elemento da inovação está em todo o lugar, seja nas centenas de pequenas ações do dia a dia às grandes decisões da alta gestão, pesquisas da FGV - Fundação Getúlio Vargas apontam que as empresas com cultura de inovação alcançam uma média de 20 a 25% de eficácia em seus projetos e têm uma receita de 60 a 70% de produtos novos nos últimos 4 anos. Vemos, através desses dados, como a força de uma cultura é fundamental para a inovação.

Então, se uma cultura é um conjunto de pressupostos, princípios, valores, normas e práticas de gestão que dão suporte à estratégia, uma cultura de inovação é o que fomenta de forma metodológica e disciplinada a geração de testes e ideias que vão gerar dinheiro novo, essa é a questão!

Separamos 5 pilares fundamentais com elementos que catalisam uma cultura de inovação e que recentemente, foram identificados na maioria das empresas de sucesso:  

1 - Foco extremo no cliente

O valor a ser entregue pela inovação somente se realizará se o seu cliente final identificar a importância dessa inovação. Como assim? Toda inovação parte do princípio de um conhecimento relevante sobre o seu cliente, você precisa entender e respeitar as características dele, com um foco determinante em suas demandas. Não existem espaços para suposições, na inovação você testa, experimenta, erra, acerta, e dessa maneira, vai evoluindo até ter um contato mais preciso com o cliente, desenhando uma jornada junto com ele, o acompanhando, implantando a cultura de inovação e colhendo feedback em tempo real; 

2 - Experimentação como hábito

Uma frase impactante nos processos de inovação: “Se nasceu perfeito, nasceu tarde”. Isso não quer dizer que é um eterno projeto de tentativa e erro, mas se você e sua empresa pensar que somente quando tudo estiver perfeito deve ir para o mercado, desperdiçará muito tempo. O valor da inovação é identificado pelo cliente e ele deve ter contato, o mais rápido possível, com sua inovação para validá-la.

3 – Métricas  

A demonstração de resultados é fundamental para compreender se as suas tentativas (ou testes) estão sendo bem-sucedidas. Criar uma cultura de geração de métricas e metas é parte importante da implantação da cultura de inovação. Portanto, reunir os dados sobre o que é feito na inovação se torna uma atividade crucial, ou seja, parte do processo. Para que haja a melhoria contínua deve-se ter o antes e o depois, para entender a melhoria, que também é chamada de inovação incremental. Outro ponto fundamental é a participação do time envolvido no processo, pois transferir em números o comportamento e medição de resultados de uma experimentação é uma tarefa extremamente complexa; 

4 - Ouvir a equipe

A inovação chega de todos os lados, então, ouvir a todos na equipe, sem ignorar ninguém, da diretoria até os cargos operacionais, é importantíssimo para os profissionais com cargos menos expressivos, pois muitas vezes esses são os profissionais com maior contato com o cliente final. Isso não é uma novidade, conceitos de inovação industrial já dão importância para a participação de todos na inovação, porém, depois de literaturas importantes como “Lean Startup” de Eric Ries, todos os profissionais de uma empresa podem ser a origem de uma inovação que transformarão os seus negócios; 

5 – A relevância do líder

Última, mas não menos importante característica é ter uma liderança que conheça, goste e incentive a inovação, talvez o maior fator de sucesso para a implantação da cultura e inovação nas empresas. Dessa maneira, é necessário que empresários e CEO’s conheçam quais são os líderes que estão engajados e comprometidos em investir tempo, suor e outros recursos na inovação. Também é necessário identificar os “detratores da inovação”, a galera do contra, que só gera bloqueio e nunca soluções, pois eles estão à espreita em todos os lugares e podem minar os esforços de uma empresa inteira rumo ao sucesso que a inovação pode proporcionar. 

A inovação não é um tema novo é um tema constante que está dentro de todas as aulas que se assiste dentro de um ambiente acadêmico. Ao se ouvir uma teoria de gestão, é importante ouvir, entender, ter referência de uma situação real como aquela em discussão e questionar para tentar otimizar essa teoria ou situação, ou solução.

Essa é uma das principais aprendizagens que se tem em um ambiente acadêmico, é na faculdade que você deve fazer todos os questionamentos para quando estiver na empresa, poder fazer todas as abordagens com mais segurança, pois já testou na Faculdade.

Portanto, saber a forma de se comunicar, ter uma interação funcional entre os departamentos, ter a capacidade de resolver problemas e a capacidade de experimentar, formam a tônica de uma cultura de inovação.

Acreditamos que você profissional, com pouca ou grande experiência, mas que passa por um momento de disseminação de uma cultura de inovação com o propósito de gerar sustentabilidade para a empresa que você trabalha, fazer um checklist de uma maneira tangível, ágil e real pode ser a chave para o progresso que procura.

É muito importante também, ter a capacidade de perceber quais são os elementos que estão embarreirando os avanços e a partir disso, construir uma jornada de calibração de cultura e inovação.

Esperamos que tenha ficado com uma ideia mais clara de como encontrar os obstáculos da sua empresa e como você pode contorná-los e projetar uma cultura que vai dar sustentabilidade e lucratividade para sua organização, mas não se preocupe se você ainda não conseguiu atuar com uma estratégia de inovação ou se ainda não teve alcance na área desejada, ou ainda, se estuda a possibilidade de ter uma formação em áreas correlatas, nós da Faculdade CENSUPEG estamos prontos para te ajudar. 

Se interessou? Quer aprender mais sobre Gestão Estratégica de Inovação? Acesse nosso site e saiba mais sobre o curso de MBA em Gestão Estratégica de Inovação no curso de Pós-graduação EAD: https://www.censupeg.com.br/mbaemgestaoestrategicadeinovacao


Autora:
Isabela Villaça
Analista de Marketing

Você também vai gostar:

Como escolher o curso certo para mim?

há 1 ano

Gestão de Recursos Humanos: por que ser um tecnólogo em RH?

há 1 ano

Confira os benefícios do app Kahoot em sala de aula.

há 9 meses

A mudança do papel da liderança em gestão do conhecimento das empresas

há 1 ano

Afinal, como descobrir se tenho perfil para ser professor?

há 1 ano

Gostou do conteúdo?

Saiba mais em nossas redes sociais